Social Icons

Pages

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Hemorragias Genitais Anormais

Paula Nogueira






É Comum entre muitas mulheres, a menstruação exagerada cíclica, ou fora do ciclo menstrual, é responsável por cerca de 50% das visitas ao ginecologista. Causada na maioria das vezes por anormalidades no aparelho reprodutor feminino e por alterações hormonais, as hemorragias podem acontecer em diferentes fases da vida. Estresse, início ou interrupção do uso de pílulas anticoncepcionais, doenças sexualmente transmissíveis, infecções e até mesmo traumas na região genital também são causas possíveis. Mas, a endometriose, os miomas e o câncer uterino, são considerados os principais deflagradores do problema e, especialmente com eles, é preciso muita atenção.

A idade é fundamental para definir a origem do problema, como afirma a ginecologista Claudia Roxo, do Hospital Barra D'Or. Para entender os riscos do sangramento vaginal anormal em cada fase da vida da mulher, confira na página seguinte as orientações da especialista.

Infância

Apesar de menos frequentes na infância, deve-se ter atenção às hemorragias nesta fase, já que tanto podem ser decorrentes de uma simples alteração glandular ou hormonal, quanto resultado de uma puberdade precoce, ou mesmo evidência de abuso sexual:

- Os sangramentos vaginais são pouco comuns durante a infância. Por isso, qualquer alteração deve ser imediatamente informada ao pediatra da criança, orienta a médica.

Puberdade

Do total de casos nos consultórios dos ginecologistas, cerca de 20% são de meninas que atravessam a puberdade. Isso porque são muitas as alterações hormonais que ocorrem no período, o que pode facilitar o surgimento de sangramentos. Nos primeiros anos, os sangramentos em geral são de causa anovulatória, ou seja, as liberações hormonais entre sistema nervoso central, ovário e útero ainda não estão totalmente sincronizadas. Por isso, o ciclo menstrual da menina costuma ser bastante irregular, existindo a possibilidade de uma menorragia, ou seja, menstruação em excesso, ou por períodos muito longos.

Vida reprodutiva e adulta

Segundo a Dra. Cláudia, é nessa época que costumam surgir as principais doenças responsáveis pelos sangramentos anormais, como a endometriose (adenomiose), miomas, cistos ovarianos, inflamações e câncer genital:

- A endometriose atinge uma em cada dez mulheres e pode causar dor a partir dos primeiros ciclos menstruais atípicos, às vezes com coágulos, e, com alguma frequência, podem levar à anemia.

Outros dois problemas que têm como provável sintoma os sangramentos vaginais são os miomas e os cânceres uterinos:

- Os miomas são os tumores benignos mais comuns entre as mulheres. Eles podem apresentar sangramentos mensais atípicos, às vezes com coágulos, e, com alguma frequência, podem levar à anemia. No caso dos cânceres uterinos, os sangramentos funcionam como uma espécie de alerta, já que, em 90% dos casos é o primeiro sinal a aparecer e avisar de que algo não vai bem no organismo.

Irritações e inflamações na vagina, as chamadas vaginites, que surgem por conta de microorganismos ou substâncias irritantes contidas em sabonetes e cremes, bem como doenças sexualmente transmissíveis, também podem desencadear o problema.

Mas não são apenas as desordens do aparelho reprodutor feminino as responsáveis pelas hemorragias genitais. Bem menos comuns, doenças de causas sistêmicas como os distúrbios sanguíneos que alteram os mecanismos de coagulação, a leucemia, as complicações decorrentes da gravidez e até os traumas e acidentes que atingem a região abdominal ou genital também podem acarretar um quadro de perda de sangue.

Menopausa

Com a chegada da menopausa, terminam os ciclos menstruais, a ovulação e, assim, diminuem-se os sangramentos de origem hormonal. Contudo, aumentam as chances dos sangramentos anormais causados por câncer de endométrio (cavidade uterina).

A diminuição da produção hormonal é outra característica da menopausa, o que gera redução da lubrificação e ressecamento. Por isso, algumas mulheres também podem apresentar algum tipo de sangramento local na cavidade vaginal.

Tratamento

Os tratamentos variam de acordo com os sintomas do problema. Cada caso tem um diagnóstico, como orienta Claudia Roxo:

- Somente um médico poderá indicar o que causou o quadro de sangramento anormal e, junto com a paciente, chegar à melhor opção de tratamento para seu caso clínico. O importante é buscar imediatamente um especialista ao primeiro sinal de hemorragias.

Miomas

O mioma é uma das rincipais causas de sangramentos anormais, podendo levar até mesmo a sérias anemias. Segundo a ginecologista, em geral, apenas quando os miomas causam hemorragias, sintomas compressivos, ou dor há indicação de tratamento. “Nesses casos, o especialista deve avaliar a relação riscobenefício de se realizar cada um dos procedimentos disponíveis, especialmente se a mulher ainda deseja ter filhos”, lembra a Dra. Claudia.

Método mais comumente optado pelos especialistas, a miomectomia consiste na intervenção cirúrgica - por via vaginal (histeroscopia), ou abdominal (laparoscopia) - é realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia. A médica lembra, porém, que a retirada do útero (histerectomia) ainda é bastante comum no Brasil e em outros países, mas que a tendência mundial é optar por técnicas minimamente invasivas, menos radicais e mais conservadoras:

- É o caso de um novo método para tratamento dos miomas sem intervenção cirúrgica. O ExAblate combina as tecnologias da ressonância magnética com o ultrassom de alta energia. A ressonância define o alvo, controla e monitoriza o procedimento e o ultrassom emite ondas de alta energia focalizadas no alvo, o que leva à inativação do tecido do mioma. Dependendo da localização e do tamanho do mioma, essa nova técnica possibilita a redução de suas dimensões, bem como do sangramento uterino anormal de 50 a 70%.

Outra opção é a embolização, procedimento minimamente invasivo, que atua interrompendo o fluxo sanguíneo que nutre o mioma. A técnica é realizada por meio de cateterismo da artéria uterina, onde são injetadas microesferas que se alojam somente nos vasos que nutrem os miomas, fazendo com que ele regrida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para Segurança de nossas leitoras todos os comentários serão supervisionados antes de serem publicados.

Tire suas dúvidas, comente, mostre sua opinião.